O mundo visto pelo Japão

Por muito tempo fechado ao mundo exterior, o Japão se abre para o comércio internacional sob a pressão dos canhões do comodoro americano Perry em 1854. Durante a Era Meiji (1868-1912), “governo esclarecido”, o Japão se moderniza inspirando-se no mundo ocidental. Em 1905, inflige à Rússia a primeira derrota militar de um povo branco por outro não branco depois de séculos. O país se lança então, na primeira metade do século XX, numa política de expansão pela Ásia. Anexa a Coreia em 1910, invade a Manchúria (que passa a se chamar Manchukuo) em 1931 e a China em 1938, ataca os Estados Unidos em Pearl Harbor, em dezembro de 1941, e ocupa o Pacífico. No sudeste asiático, alega lutar contra as potências coloniais europeias, mas estabelece seu próprio domínio baseado numa severa repressão.

Clique na imagem para uma melhor visualização.

Ao fim da Segunda Guerra Mundial, uma vez vencido o Japão (depois das bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki, nos dias 6 e 9 de agosto de 1945), os norte-americanos decidem manter o regime imperial, mas deixam ao imperador apenas poderes simbólicos. Eles não obrigam os japoneses ao mesmo exame de consciência sobre seus crimes por que passaram os alemães. A guerra da Coreia faz do Japão o insubstituível porta-aviões dos norte-americanos na Ásia diante do poder soviético e chinês. As relações do Japão com a Coreia capitalista permanecem sensíveis, assim como com a China “comunista”, uma vez que o passado, a guerra e as atrocidades japonesas não foram reconhecidas e assumidas com a devida clareza. A despeito dos laços econômicos entre os países do leste asiático de um militarismo japonês permanece em toda a Ásia.

O Japão conhece um desenvolvimento econômico fenomenal a partir dos anos 1950, saltando de 3% para 16% da renda mundial no início dos anos 1980. Segundo PIB mundial e primeiro banqueiro do planeta, ainda que politicamente tolhido, o Japão é então qualificado de gigante econômico e “futura terceira potência”. A partir dos anos 1980, os Estados Unidos se veem divididos entre o desejo de fazer o Japão participar mais do esforço comum de defesa e o temor de despertar nele apetites de poder. 0 próprio Japão se questiona sobreas vantagens e os inconvenientes de unir a potência estratégica à potência econômica e financeira. O Japão dos anos 2000 reivindica, assim, uma cadeira de membro permanente do Conselho de Segurança da ONU.

O fim da guerra fria não apaziguou as rivalidades nacionais na Ásia. Ao contrário, o Japão continua preocupado com sua própria segurança diante da China, a despeito da interdependência das duas economias, e diante da Coreia do Norte, face à incerta evolução da questão coreana. Litígios territoriais não resolvidos pesam sobre as relações com a Rússia. Por isso, o Japão permanece dependente dos Estados Unidos para sua segurança, e sua margem de manobra diante de Washington é limitada. A dificuldade para o Japão é defender seus interesses essenciais (segurança energética) diante da China e da Rússia, e desenvolver suas capacidades militares, o que exigiria alterar sua constituição, bem como uma evolução da opinião pública, tudo isso sem ultrapassar o que aceitam os Estados Unidos nem despertar inquietações na Ásia.

Fonte do texto e das imagens: BONIFACE, P. e HUBERT, V. Atlas do Mundo Global. São Paulo: Estação Liberdade, 2009, p. 100, 101.

2 Respostas to “O mundo visto pelo Japão”

  1. Professor,
    O grande desenvolvimento econômico (a partir de 1950) do Japão ocorreu devido aos investimentos na educação no período pós 2ª guerra mundial?

    • A resposta é também, pois tal crescimento foi da educação somada a uma série de setores associados.
      O fragmento abaixo define minha afirmação anterior.

      “Concorda-se em geral que a rápida expansão da economia japonesa do final dos anos 50 até a década de 1960 foi impulsionada pelo vigoroso investimento da indústria privada em novas fábricas e equipamentos. O elevado nível de poupança das famílias japonesas proporcionou aos bancos e outras instituições financeiras amplos recursos para um pesado investimento no setor privado. O aumento dos gastos de capital foi associado com a introdução de nova tecnologia, muitas vezes sob autorização de empresas estrangeiras. O investimento para a modernização tornou as indústrias japonesas mais competitivas no mercado mundial, criou novos produtos e deu às empresas japonesas as vantagens da produção em massa e melhorou a produtividade por operário. Um outro fator que está por trás do crescimento econômico do Japão durante esse período foi a existência de uma abundante mão-de-obra com um elevado grau de educação.”
      Fonte: http://www.rio.br.emb-japan.go.jp/caracteristicas/economia.htm

Deixe uma resposta para Marcos Brandão Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: